_____________________________________
Também leia meus posts como 'Toon Link' no Blog Clímax.

Indicados ao
Oscar 2012 - Comentários
O 3D é mesmo o
futuro do cinema?
Resenha: Toy Story 3
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

domingo, 28 de março de 2010

Cinema-Crítica: Como Treinar o seu Dragão

divertidaço, mas não no estilo Dreamworks


Quando o os diretores Cris Sanders e Dean DeBlois abandonaram não só a direção do até então An American Dog(que posteriormente virou o excelente Bolt) como também os estúdios Disney eu fiquei fortemente entristecido, a decadente Disney estava abrindo mão de 2 de seus melhores artistas e destruindo a produção de um de seus mais promissores filmes.

Pouco tempo após, Sanders e DeBlois foram contratados pela Dreamworks, inicialmente foi um choque, estas mentes criativas foram contratados por uma empresa que até então nunca tinha me surpreendido em nada a não ser pelo que seu Shrek apresenteu em 2001 e foi repetido 500 vezes, mas eu tinha esperança, esperança de que aquilo daria certo, de que Sanders e seu parceiro de direção sabiam o que faziam. Para quem está meio perdido com relação a essa contenda envolvendo Disney e Chris Sanders leiam este post.


Sanders então na Dreamworks pegou o projeto de um filme animado chamado Como Treinar o seu Dragão, o filme já estava em pré-produção quando ele assume a direção e talvez isso foi o que eu mais vi com maus olhos, Sanders pegando um projeto que ele não idealizou, isso poderia dar muito errado ou resultar em um filme comum que não apresentasse nada do estilo do talentosos diretores, mas pra minha surpresa eu estava enganado.




Como Treinar o seu Dragão é baseado em uma série de livros, foi um projeto que Sanders pegou no meio do caminho(assim como Brad Bird em Ratatouille) mas isso não transparece na tela(assim como aconteceu com Bird também) afinal é uma animação vigorosa, divertida, com bons personagens e acima de tudo com ótimos diálogos e gags inesperadas, além de ser visualmente arrebatador.

Sinopse: O jovem magricelo Hiccup mora em uma vila Vicking, lá os guerreiros da vila constantemente lutam contra dragões que são considerados as pestes locais, Hiccup tem forte desejo de lutar contra estas criaturas(o que no filme é brilhantemente mostrado como uma "meta social" pra ele) embora todos a sua volta digam que aquilo não é para ele e que ele deve desistir da possibilidade, mas ao usar seu novo equipamento e conseguir capturar um dragão que caiu em outra região, Hiccup ao lidar com uma criatura que ele descobre ser diferente do que esperava consegue descobrir muitas coisas que no meio de muitos mal entendidos, o fazem em seu "treinamento júnior" pagar de perito em "domar" dragões, mesmo que ele sempre se recuse a matá-los.




A história no fundo é batida mas isso não nos incomoda devido a forma como ela de desenrola, quem assiste ao trailer percebe que o filme mostra que de certa forma os vickings estão equivocados sobre o comportamento dos dragões, mas a forma que o filme mostra isso é bem mais interessante do que o choque clássico que uma outra animação, feita de forma não tão profissional, teria, a precisão do roteiro deixa a historia mais verossímil, nova e divertida por ter detalhes de contrução que fazem tudo ter mais cara de algo desenrolado, verossímil, real, e não "um filme episódico" vamos dizer assim.

Um exemplo de que história batida mas competentemente escrita faz toda a diferença é a relação desse filme com Monstros vs Alienígenas(crítica aqui) da própria Dreamworks, lá os detalhes e o desenvolvimento fazem o filme ser uma diversão esquecível, aqui faz a coisa ter muito mais qualidade e refinamento.


Aliado ao roteiro bem escrito, não só no humor mas no desenvolvimento da narrativa, um detalhe que dá todo o charme ao filme e potencializa sua historia e personagens são as sacadas de direção de Sanders e DeBlois, eles conseguem a partir de sutilezas, jogo de câmera e etc..(coisas intricadas na cultura do cinema) comunicar e desenvolver narrativa, ele faz isso o tempo todo sem deixar o filme com aquela cara de óbvio, de querer explicar tudo da forma mais didática, isso deixa o filme muito mais legal, muito mais instigante de assistir, pois os detalhes da interpretação dos personagens, o jogo de câmera e etc.. são importantes para o entendimento, na própria cena inicial onde há uma batalha na aldeia vicking há muito disso.




Os pequenos defeitos que envolvem Como Treinar o seu Dragão estão justamente no fato de ser um filme já encaminhado que passou pelas mãos de Sanders e DeBlois: no fundo é uma história bem batida, detalhe esse que é contornado brilhantemente pelas situações e pelas idéias brilhantes da direção pra fazer o filme andar, mas ainda é uma históiria batida que dependendo do publico, pode frustrá-lo de certa forma.


Outra coisa é que Como Treinar o seu Dragão não apresenta em quase nada o visual peculiar do traço de Cris Sanders que explode na tela em Lilo e Stitch, as cores suaves(talvez isso é o que mais tenha no filme), os personagens arredondados, os efeitos engraçados(as explosões em Lilo e Stitch por exemplo que sempre usam fumaças arredondadas) e etc.. na verdade o que mais frusta são os personagens não serem assim, com o traço inconfundível de Sanders(ver aqui exemplos), e o problema nem foi o filme ser em animação 3D já que as imagens conceituais de An American Dog mostravam o estilo de Sanders intacto em 3° dimensão.


Enfim, os mínimos problemas estão mesmo no fato do longa não ser uma idéia original de Sanders de DeBlois, mas que eles souberam muito bem ainda assim, trazer seu estilo de humor para aquilo e deixar o filme ter mais característica, não ter aquele humor engraçadinho de sempre que as animações CGI tem, Como Treinar o seu Dragão de certa forma quebra TUDO o que a Dreamworks esteriotipou sobre si própria(mesmo com filmes mais refinados como o maravilhoso Kung Fu Panda), não apresenta NENHUM dos seus tiques, NENHUM dos esteriótipos de personagens e NENHUMA referência a "cultura pop", não há um "filme da Dreamworks" aqui em nada, e não estou exagerando, é sério mesmo, um desavisado nem irá perceber se tratar de um filme da Dreamworks se não olhar os créditos.




No Saldo geral Como Treinar o seu Dragão fala mais de sentimentos do que se espera e sabe tratar muito bem o universo e o tipo de personagem que usa, só não é um filme tão recomendado a quem busca mais enredo surpreendente mesmo que a profundidade emocional do filme compense isso.


É bom saber que no fim das contas a Dreamworks foi uma boa casa para Sanders e DeBlois, por permitir, mesmo com uma reputação de estúdio definida, que os cineastas fizessem o filme como deveriam e de forma que a história podesse ficar melhor. Estou no aguardo do próximo filme dos caras, aquele que começará apenas a partir de ideías originais(que eles já demonstraram ter), tem tudo pra Sanders e DeBlois mostrarem seu desenvolvimento como diretores de animação, aqui em Como Treinar o seu Dragão o trabalho deles parece ter melhorado em alguns aspectos(conseguindo fazer cenas de ação melhores do que encomenda, por exemplo), com uma história própria eles tem tudo pra fazer um filme muito melhor, assim como Lilo e Stitch foi.



ps: este parece ser o filme que valia muito a pena ser visto em 3D(assim como Monstros vs Alienígenas) pela impressão que tive.

ps2: prepare-se para uma quebra de paradigma forte no final.

ps3: escalaram o elenco todo do Superbad?


curiosidade: o fotógrafo cinematográfico Roger Deakins(o melhor da atualidade) foi uma espécia de consultor visual para esse filme, assim da pra entender o belo trabalho de fotografia, coisa semelhante aconteceu em "Wallace e Gromit movie" quando Hans Zimmer foi consultor de música sendo Julian Nott o compositor oficial do longa stop-motion.




escala 'quero que o roteiro me surpreenda': 6
escala estética: 8
escala qualidade do humor: 9

Nota: 7




leia outras resenhas
de animações clicando aqui


6 comentários:

Kahlil Affonso disse...

Realmente não é um filme no estilo da PDI... é superior. Acho que este filme mostrou um grande amadurecimento por parte da Dreamworks que vinha fazendo filmes bastante repetitivos e infatis demais.

http://cinemaemdvd.blogspot.com

sapao318 disse...

Pretendo ver hoje á tarde!! boa resenha do filme! me animou uns 20% á mais que em outros lugares...teve gente que só deu pedradas e outros que casaram com o desenho,hehe!!

abração!!

depois de ver comento de novo!!

[Pulga] Anderson Ferreira disse...

Poxa Jonathan, tu dá nota 6 por roteiro pra esse filme e dá 10 pro Avatar? Tá bom...[querendo Flame War OFF]

Não vi o filme, mas o meu dinheiro está contado para ver Toy Store 3 e alice neste mês, rs. Mas parece um bom filme, tentarei ver, mas acho que se for assistir não verei em 3D.

Enfim, excelente critica novamente, mas comparando com outros filmes que você deu nota maxima, acho que foi injusto, hehe

Abcs

Jonathan Rodrigues disse...

Pulga, a nota que vale é a que está em negrito, as outras são escalas pra quem esta em duvida em assistir(pra quem quizer ver SÓ por uma historia revolucionária ja ficar com o pé atrás por exemplo), é mais uma nota pra outras quesitos que variam dependendo do texto, quando escrever mais resenhas você vai ver

e se tivesse esssa escala pro Avatar ele levaria um 6 também, 10 foi a nota geral(que foi exagerada, devia ter sido um 9)

ah, e minhas notas são rigorosas, só dou 8 ou mais se o filme for filmaço mesmo.

Tee disse...

Quase vi ele ontem bem, vou ver semana que vem, vamos ver se é merece 7

Jacques disse...

Esse filme foi uma grata surpresa pra mim e pra muita gente.
Visual demais, boas piadas em cima do rpg, personagens divertidos.
O visual bizarro dos dragões acabou ajudando no produto final, já que a animação deles ficou perfeita.
Essa dupla de autores ainda tem muito pano pra manga.
Até mais.

Postagem mais recente

veja mais coisas legais em Postagem mais antiga


Related Posts with Thumbnails
 
diHITT - Notícias / BlogBlogs.Com.Br