_____________________________________
Também leia meus posts como 'Toon Link' no Blog Clímax.

Indicados ao
Oscar 2012 - Comentários
O 3D é mesmo o
futuro do cinema?
Resenha: Toy Story 3
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

terça-feira, 10 de março de 2009

Cinema-Crítica: Watchmen, de Zack Snyder (crítica com SPOILERS!)

tipo: morreu um comediante em NY


O filme analizado friamente é excelente, mas peca no mais importante dos espectos de uma película, não é conduzida d eforma perita, ainda mais esta que tem toda uma obrigação de ter uma boa condução por parte do diretor (Watchmen é considerada a melhor de todas as HQs, não poderia ser um reles filme).


Zack Snyder por momentos opta por coisas absurdas, tipo as lutas exageradas ao máximo, o Comediante por exemplo, quebra a parede de seu apartamente com um soco...

Mas pera aí, voces não entenderam.. ELE QUEBRA A PAREDE!

Fora a violência excessiva(o que não seria problema se em determinadas cenas não fosse desnecessária), por exemplo, a luta de Laurie e Dreinberg no beco tem direito até a braços decepados!


Mas enfim..

Começemos a falar mais objetivamente sobre o filme :

Ele tem seus momentos...

A metade inicial por exemplo, eu acho irretocável, perfeita mesmo, tirando claro a exagerada das lutas e a presença do Ozzymnandias da forma como é "aparenciado" e interpretado.


Snyder cortou coisas da HQ mais deixou tudo lá, em questão de essência, o que sempre me assustava com relação ao filme era como ele iria incluir o material especial em forma de texto que vinha ao final de cada volume da HQ e ele, pegou da melhor forma possível estes elementos e os incluiu de forma ótima ao filme, mesmo que tenha deixado muita coisa de fora, basta por exemplo olhar-mos como foi citado o herói que teve sua capa presa à porta giratória(um dos principais pontos de Watchmen que Os Incríveis referencia), ou a motivação que as pessoas tinham a usarem máscaras(que se não me engano, presente no texto Sob o Capuz) e por aí vai.


Só senti muita falta do trecho do primeiro volume onde Rorcharch vai ao submundo procurar informações sobre a morte de Edward Blake(o Comediante), seria uma boa forma de mostrar mais sobre o personagem, como + ou - ele agia e tal.



Mas se os problemas apresentados até o meio do filme são apenas alguns detalhes menores como os citados acima, tudo fica pior na metade final, é aonde vemos que Watchmen não é o filme para que veio, onde todos os problemas chegam à tona, onde Snyder mostra o seu limite.

É aí que parece que as presepadas começam a apareçer de forma feroz, começam as músicas totalmente mal encaixadas(a "Aleluijah" na cena de sexo entre "Espectral 2" e "Coruja 2" é envergonhante), cenas de luta mais mirabolantes ainda e tudo a perder aquela sensibilidade apresentada na metade anterior, acho que o problema é que Snyder antes estava se mostrando onde realmente sabia fazer o filme como um possível amante da HQ: quando a estória não começa a ter reviravoltas o suficiente, a partir disto, tudo fica complicado demais e Snyder parece querer correr com tudo sem ajeitar tudinho e deixar verossímil aquilo como cinema, afinal, nem todos que estão vendo o filme leram a HQ.


A cena final em si é muito boa, mas eu prefiro a frase final da HQ, tem bem mais impacto, o final do filme além de dar aquela meia-clichezada, ainda induz a um dos lados que a HQ propôs para o fim, é mais uma vez o problema de falta de sutileza de Snyder.


Para completar ainda temos mudanças gritantes nos instantes finais, o que é o Coruja dando berrão? tá, nada de muito ruim...
mas o que Manhatan devia ter dito para Veidt ele diz à Laurie num momento romanti"cuzinhu" com direito à beijo e tudo, VAI SE FODER PORRA! e pra cobertuda ainda temos o coruja esmurrando o Veidt, tá, até seria legal um ataque de furia dele, mas não precisava dar umas 453 patadas e o Veidt de tanta viadagem apanhando sem demonstrar furia nenhuma pela reação(o que seria compreensível se ele não tivesse tomado tanta porrada).

Outra coisa que deveria ter sido melhor implementada foi a fortaleza de Veidt na Antártida, ela só é citada e aparece no fim do filme e sem profundidade nenhuma, se pro publico geral tudo só fica mais viajado e bizarro nos minutos finais, este detalhe só chega para piorar as coisas, mesmo problema este, do Bubasti(animal de estimação de Veidt) que seria um animal alterado por mutação e no filme sua origem não é mostrada e logo após aparecer ele já é morto.


Sobre o final alterado?, bem eu tenho a dizer que a idéia continuou a mesma, não sei dizer se é melhor ou pior, mas acho que foi mais adequado a sua mídia (gerou muito controvérsia por Manhatan anteriormente ter sido um aliado dos EUA, mas não acho que isto seja tão grave).



Analizando tudo vemos um problema que depois de conversar com gente que não leu a HQ se mostrou pior: isto aqui deveria ser um filme de compreensão geral, inclusive de gente que nunca leu uma sinopse e no filme isto exige um esforço absurdo e nunca alcança seu objetivo por mais que a pessoa tente.
Houve gente por exemplo que me disse que o filme a induziu a pensar que Veidt era "o vilão" desde o início, o que é um erro gravíssimo e é o tipo de coisa que quem já leu a HQ e está se concentrando em outras coisas no filme não percebe.


Outra das coisas mais importantes da HQ QUE DEVEIA SER SALIENTADO NO FILME E NÃO FOI: Aquelas pessoas, tirando o Dr. Manhathan são pessoas "comuns" que resolvem "usar uma máscara" e combater o crime por aí, no início do filme isto não fica claro(e aquela luta mirabolante do Comediante não ajuda), ainda mais se considerando que o publico geralmente tem esta visão dos super-heróis, pessoas fora da realidade e tal.

O filme não tenta ajudar neste ponto.


Agora falando tecnicamente, o filme é muito bem feito, a fidelidade visual impressiona, acho que o filme foi bem editado e tal, não há do que reclamar, além claro da já citada, má escolha com relação a algumas musicas.

O elenco está um tanto irregular, afinal, embora Jackie Earle Haley esteja perfeito como Rorscharch e Jeffrey Dean Morgan como comediante esteja ótimo, outras escolhas comprometeram, a já citada, o ator escolhido para ser o Ozzymandias(que por mim deveria ser Jude Law que inclusive esteve cotado para interpretá-lo), e outros como o casal Coruja/Dan Dreinberg e Spectral 2/Laurie Jupter.

porque estáva-mos ambaixo d'água? sim! o público terá que adivinhar!

Bem, a versão que Snyder pretendia lançar nos cinemas teria por volta das 3 horas e 10 minutos, claro que ela não corrigiria a maioria dos problemas da película(que são de cunho da decupagem de algumas cenas e algumas decisões que prejudicaram, não são necessariamente de falta de desenvolvimento em certos aspectos) mas possivelmente deixaria muita coisa no filme mais bem resolvida, principalmente nos instantes finais, acho eu.
Enfim, aí é ver e chegar a conclusão do quanto produtores frescos e publico alvo "teoricamente" boçal são capazes de estragar uma obra cinematrográfica com mais potencial.

Nota: 7

6 comentários:

O Cara da Locadora disse...

Pois é, eu sou daqueles que não leu os quadrinhos e to em busca deles agora depois do filme (shame on me)... Porém você já me tirou uma dúvida muito grande, por que eu realmente pensava que super força todos eles tinham principalmente por causa do Comediante quebrando paredes... Mas fiquei em dúvida sobre os "poderes" deles, bom que isso tenha sido esclarecido e em breve lerei a hq para ter uma opinião mais elaborada... ABraços...

Jeniss Walker disse...

vejo ainda nessa semana.
tive oportunidade de ler a HQ (muito boa por sinal). Dr. Manhattan é meu personagem preferido.
abraço, Jonathan.
:P

Guilherme disse...

Eu gostei muito da sua crítica, mas discordo de dois pontos. Na verdade dois defeitos do filme que eu achei muito graves.

Trocar um ser extraterrestre oriundo de um mundo desconhecido pelo Dr. Manhtattan, até bem pouco tempo soldado e arma norte-ameracano, JAMAIS faria os soviéticos fazerem a spazes com os EUA!
É ABSURDO!
Uma idéia ingênua num filme que se pretende sério. E acredito que suprimiram muitas explicações do Veidt (como a história do Nó Górdio) pras pessoas não cacarem a incoerência.
Quanto a ser outra mídia, quantas vezes o cinema não criou invaões alienígenas?
Estou ouvindo tanto esse argumento por aí que parece que de repente ninguém nunca foi ao cinema na vida vê um filme do Spielberg por exemplo...

Enfim... o outro erro que eu achei gravíssimo: a (falta de) reação dos heróis no final.
Coruja, Rorsharch ao ouvirem os planos de Ozymandias custam acreditar que seja real, é um momento muito aflitivo, e Spectral ao ver Nova York devastada quase tem um treco.
No filme, pela reação deles,parece que o Veidt é uma criança que quebrou um brinquedo!

Toda a dramaticidade do final foi bolada por Alan Moore pra alcançar e ressaltar esse aspecto humano.
Por isso, só Veidt e Manhattan lidam bem com o ocorrido, pois se consideram acima da humanidade por diferentes razões, mas os demais simplesmente SURTAM!

Vc não vê nada disso no filme, o que prova as limitações vergonhosas de Zack Snyder quando tem que dirigir um drama sério.

Uma obra-prima de Alan Moore adaptada por Snyder só podia ser metade boa mesmo... a metade que Snyder consegue reproduzir.

Kamila disse...

O seu texto está bem estruturado e fundamentado. "Watchmen" realmente tem muito conteúdo interessante, mas peca por alguns detalhes: a perda de foco do filme em alguns momentos e a vontade do Zack Snyder de ficar, o tempo inteiro, fazendo algo visionário e extraordinário.

Johnny Strangelove disse...

Bem com vc pediu, ontem eu terminei de ler a HQ. Antes de tudo e primordialmente, só pelo fato de muitas sequencias e a propria HQ ter sido transposta ao cinema já prova de que um sonho impossivel pode ser realizado.

Pode se dizer que a fidelidade extrema a obra pode ser a grande chave para obter os louros da glória de ver algo extremamente dificil de ser adaptado. Snyder não é um grande cineasta, porém Watchmen não é uma obra para qualquer diretor, já que tem ser transposta para quem conheçe o gibi e tem um olhar dedicado.

Muitas vezes ser visionario, não é ser um diretor de truques de camera novos, mas sim conseguir transformar um universo impossivel em algo concreto e real e dizer, poxa, eu nunca imaginei que isso poderia ser real (venhamos e convenhamos, lendo o gibi, nunca imaginava que a sequencia de marte seria tão perfeita no filme quanto na HQ). Isso sim é ser visionario.

Um grande abraço Jonathan

Kau Oliveira disse...

Heyy Jonathan, rsrsrs. Não sabia que vc tava atualizando o blog com frequênia. Vou comentar sempre :o)

Então, não li o filme e por isso não li sua crítica toda. Acho que vou ter dificuldades, pois não conheço NADA da graphic novel.

Abs!!

Postagem mais recente

veja mais coisas legais em Postagem mais antiga


Related Posts with Thumbnails
 
diHITT - Notícias / BlogBlogs.Com.Br